Contra-Ataque com Roni Molinari

01/04/2018 07:40:00
Fiasco argentino é o destaque da semana

Ter jogadores talentosos em uma seleção é muito importante. Bons jogadores podem decidir partidas quando inspirados, mas só um time entrosado e com qualidade pode alcançar a tão sonhada copa do mundo.

 

Na última terça-feira, a Argentina perdeu pelo placar de 6 a 1 para o time da Espanha. Vale fazer algumas ressalvas:


- Time da argentina estava descaracterizado;


- Espanha tem um dos times mais entrosados do mundo;


Mas nada explica a atuação dos comandados de Jorge Sampaoli na partida. O time da Argentina é dependente de Messi. O próprio jogador admite que não consegue desempenhar na seleção, o futebol tão vistoso que apresenta no Barcelona. Messi tem companheiros de muita qualidade, casos de Di Maria, Aguero, Dybala, Higuaín, entre outros. Mas não é só de qualidade de que se vive uma seleção.

A Bélgica, por exemplo, tem um time de extrema qualidade, mas um mecanismo de jogo que não encaixa, um time que não entrosa. De Bruyne, Hazard, Courtois, Lukaku, Fellaini, Kompany... Jogadores que, jogam em times de ponta na Europa. Muitos destes, são protagonistas em suas equipes, mas de nada adianta ter qualidade e não ter um modelo de jogo a ser seguido.

Na contramão disto, temos equipes que não tem grandes jogadores, mas tem um mecanismo de jogo incrível. Um exemplo foi a seleção da Argélia, em 2014, na fase das oitavas de final  contra a Alemanha. Na partida, a Argélia segurou os alemães durante os 90 minutos do tempo normal, e se engana quem acha que time, na oportunidade, só se defendeu. Na oportunidade, a Argélia perdeu no tempo extra pelo placar de 2 a 1. Há quem diga, que foi até uma "zebra" a Alemanha ter passado, pelo futebol que a Argélia apresentou. 

Agora, vamos praticar um pouco, você lembra de algum jogador Argelino atuando no futebol internacional em um time de ponta? Difícil, né? Então como que a Argélia deu tanto trabalho pra Alemanha, e o Brasil, com jogadores de ponta, tomou 7 a 1? Eu explico: Em 2014, o Brasil tinha um "amontoado" de atletas de qualidade, mas nenhum mecanismo de jogo. A Argélia era o inverso disso. 

Imagens


  • Autor: Divulgação