Sem leitos disponíveis, atendimento a gestantes de alto risco fica comprometido em Blumenau

17/02/2018 14:43:00
Hospital Santo Antônio é referência nesses casos. Sem UTI, gestantes precisam ser levadas a outras unidades.

O Hospital Santo Antônio, em Blumenau, no Vale do Itajaí, está sem leitos disponíveis nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) pediátrica e neonatal. Com isso, o atendimento a gestantes de alto risco está comprometido na cidade. As pacientes que chegam à instituição de saúde nessas condições precisam ser levadas a outras unidades, como mostrou o NSC Notícias desta sexta-feira (16).



A UTI neonatal possui 10 leitos e todos estão ocupados. Em nota, o hospital informou que, só no mês de fevereiro, foram 22 nascimentos prematuros. A instituição atende cerca de 14 municípios do Vale do Itajaí.


O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que geralmente é chamado nesses casos, vai continuar levando as gestantes de alto risco para a instituição.


"O Hospital Santo Antônio vai fazer a estabilização inicial, o diagnóstico correto, instituir o tratamento inicial. Posteriormente, se vier a necessidade de uma vaga de UTI, tanto para a mãe quanto para a criança, a Central de Regulação de Leitos, que é estadual, vai providenciar essa vaga e nós transportaremos a gestante com a criança ou apenas o recém-nascido", afirmou o coordenador médico do Samu Renan Souza.


A ambulância leva, em média, uma hora pra chegar ao hospital mais próximo com UTI neonatal. Depois é preciso torcer para ter vaga, como a costureira Marileiza de Oliveira que, por causa da grevidez de risco, precisa vir de outra cidade fazer o pré-natal. "Dá um pouco de medo. Mas acredito que vai ter vaga", disse.

Fonte: G1 SC

Imagens


  • Autor: foto internet