Técnico novo, medo de queda e aposta na "mítica" do Maracanã: como chega a LDU

11/09/2017 14:02:00
Vitória sábado encerra jejum de três jogos e alivia pressão contra o rebaixamento no Equatoriano. Ao assumir em julho, Pablo Repetto ainda busca melhora. Atletas confiam no passado vitorioso no Brasil

O futebol apresentado pela LDU em 2017 não lembrou o da equipe campeã da Libertadores e da Copa Sul-Americana. Quiçá o rendimentou dos quatro títulos equatorianos nos anos 2000 - o time de Quito tem dez nacionais no currículo.

 

Porém, o histórico faz por merecer atenção e respeito. Agora, que time é esse que desafia o Fluminense a partir de quinta-feira?


Pablo Repetto, uruguaio de 43 anos, cujo auge da carreira foi o título do Apertura uruguaio em 2010 com o Defesnor e o vice da Libertadores do ano passado com o Independiente del Valle, então time de Orejuela e Sornoza, assumiu em julho. Ele ainda busca evolução. No sábado, por exemplo, a vitória sobre o Macará por 2 a 0 deu fim a um jejum de três jogos e tirou o time das últimas posições do Equatoriano.


- Repetimos coisas boas de outras partidas com resultados ruins e melhoramos em alguns aspectos. Foi importante ganhar para sair da posição incômoda e ter um ânimo novo para os próximos desafios - analisou o comandante na coletiva ao projetar o duelo com o Tricolor.


No Equatoriano, os 12 times se enfrentam em jogos de ida e volta em dois turnos. No primeiro, a LDU terminou em décimo. É a atual sétima no segundo. O campeão de cada etapa faz a final.


Os dois últimos no geral caem. Na somatória, a LDU é a nona, com 31 pontos, oito na frente da zona da degola.


Repetto foi contratado após a demissão de outro uruguaio, Gustavo Munua. Este ficou 16 jogos sem ganhar até perder o emprego. No sábado, o atual treinador promoveu o ingresso de Anderson Julio, um misto de volante com meia de 22 anos. Ele deu assistência nos dois gols.


- Demonstrou ser importante ao time. Comparando com Gonzalez (então titular), tem características parecidas. São jogadores rápidos, é o que quero: jogar com dois abertos pelos lados e em velocidade - completou o comandante.


A LDU em 2017


No Equatoriano: 31 jogos, seis vitórias, 13 empates e 12 derrotas


Na Sul-Americana: eliminou Defensor-URU (empate em casa e vitória fora) e Bolívar-BOL (vitória em casa, derrota fora e vaga nos pênaltis)


Barcos, argentino com passagem por Palmeiras e Grêmio e que interessou ao Flu no começo do ano, é o nome mais conhecido do time. Cevallos, meia e filho do famoso goleiro, retornou após ter sido vendido à Juventus, da Itália.


- Vamos viajar motivados. É especial jogar no Maracanã, estádio onde a LDU foi campeã da Libertadores e da Sul-Americana - comentou Anderson Julio.


Na quinta-feira, no Maracanã, a partida começa às 19h15. O jogo de volta está marcado para o dia 21 em Quito.

Fonte: Globoesporte.com

Imagens


  • Autor: Foto: MIGUEL ROJO / AFP